Skip to content

Glossário

Âncora: supostamente usada para parar o barco, também faz sumir toda a corrente e o cabo quando não amarrada corretamente.

Armengue: concerto provisório tornado definitivo; o mesmo que gambiarra.

Bar: perigo à navegação. Acaba com os passeios de fim de semana.

carvalho.jpgBarco a vela: meio de transporte mais lento, mais desconfortável e mais caro que existe no mundo.

Bomba de porão: aparelho elétrico usado para acabar com a carga das baterias. Só funciona quando o barco não está fazendo água.

Canela: dispositivo para se encontrar móveis em um barco no escuro.

Calmaria: quando desaparecem, simultaneamente, o vento e a última cerveja.

Carvalho: tripulante presente em quase todos os barcos de regata.

Catamarã: salão de festa enorme construído sobre dois cascos esguios, presos lado a lado por fortes travessões.

Circunavegação: quando um circo entra num barco e fica rodando pelo mundo.

Churrasco[5]Churrasco: comida preferida dos cruzeiristas, principalmente quando navegando em flotilha.

Cockpit: espaço onde todas as cordas se embaralham formando um ninho de cobras.

Comandante: aquele que tem toda a culpa e que pode, portanto, colocá-la em quem bem entender. Não confundir com cumandante que é o comandante bundão.

Cruzeirar: consertar o barco em cenários paradisíacos.

Ecobatímetro: instrumento que serve para informar, com precisão, em que profundidade estava a pedra em que você bateu.

Encarnado: como os marujos chamam a cor vermelha.

Enjôo: doença que afeta os marujos. Primeiro o cidadão passa tão mal que fica com medo de morrer; depois a coisa continua e ele, desesperado, tem medo de não morrer!

Escala de Beerfort (via Pepe Fuera de Borda):

Força 0 Velas pendem frouxas; latinhas podem ficar na braçola.
Força1 Velas começam a encher; latinhas são degustadas sem problemas.
Força 2 Velas enfunam, barco aderna; latinhas vão para o piso do cockpit.
Força 3 Velas enchem de vez; latinhas precisam ser apoiadas ou seguradas.
Força 4 Latinhas começam a rolar no cockpit, batendo umas nas outras.
Força 5 Todas as latinhas que rolam pelo porão devem ser apanhadas.
Força 6 Ninguém consegue segurar mais de uma latinha por vez.
Força 7 Pacotes de latinhas deslizam pelo cockpit. Alguém precisa sentar nelas.
Força 8 Começam as dificuldades para colocar a latinha na boca sem desperdiçar.
Força 9 Latinhas são seguradas com as duas mãos. Difícil é abrir outra assim.
Força 10 Torna-se necessário dois tripulantes para abrir uma latinha. Impossível achar a boca.
Força 11 A cerveja espirra para fora da latinha. Lábios se partem e dentes se quebram.
Força 12 Impossível acertar a boa. Melhor parar (temporariamente) de beber.

Escotilha: abertura na cabine, usada para iluminação e ventilação, mas que também deixa a água entrar.

lovelovesea.jpg Fazer Água: quando toda a parte líquida do globo terrestre tenta entrar no barco. Uma embarcação fazendo água de forma incontrolável é a maneira mais rápida de transformar um marujo num náufrago.

Gaiato: aquele que embarca em um navio, que entra pelo cano.

Gaiúta: equipamento igual a uma ratoeira, sempre cai no dedão do pé do gaiato.

GPS: instrumento eletrônico que permite navegar até perder a Terra de vista, quando, então, as baterias acabam.

Hélice: equipamento andrógino que faz o barco andar; costuma perder as pás e enganchar em redes de pesca.

Jaqueísmo: doença que ataca os cruzeiristas. O sintoma é transformar um simples reparo numa interminável lista. Já que mexemos nisso, vamos trocar aquilo, e assim vai…

Lanterna: equipamento onde se guardam pilhas descarregadas antes de jogá-las fora.

Leme: normalmente é a primeira parte do barco que cai, quando se bate numa pedra.

episodio-34-pelos-recursos-[5]

Moitão: moita grande, lugar em terra para onde os marujos correm quando o banheiro do barco para de funcionar.

Nave Mãe: barco líder da flotilha. No nordeste é chamado de Nave Mainha.

OFNI: objeto flutuante não identificado; barco esquisito.

cuidadocomamare.jpgPedra: coisa inventada pela natureza para tirar as quilhas dos barcos.

Posição Estimada: ponto marcado na carta náutica onde você tem certeza que não está.

Porão: armário embaixo do piso usando para guardar água, diesel, óleo de motor e cabelo da tripulação – tudo misturado.

trimara-farrier.jpgQuilha: barbatana enorme que vai embaixo do veleiro, serve para encalhar o barco em águas rasas.

Retranca: barra horizontal presa ao mastro que serve para bater na cabeça dos tripulantes, por isso, em inglês, ela é chamada de boom.

Sotavento: lado do barco que é usado para fazer xixi no mar. Nunca, em hipótese alguma, use o barlavento, ou vai molhar os pés.

Trimarã: um veleiro de muletas.

Velejar: arte de ficar molhado e enjoado enquanto se vai lentamente a lugar nenhum a um custo altíssimo. O mesmo que ficar vestido sob um chuveiro frio, com um ventilador ligado na cara e rasgando notas de 100 reais.

Para estes e outros termos técnicos consulte o Glossário do MaraCatu. Se você tem algum outro verbete digno de nota, deixe na caixa de comentários.

A história do barco naufragando você vê no post Parece, mas não é. A tirinha da moita eu pesquei no blog Ti-rinhas de Rob Maia e o veleiro nas pedras é do UOL Notícias / Foto: SNSM – Saint-Quay-Portrieux/AFP.

Sobre estes anúncios
17 Comentários leave one →
  1. segunda-feira, 21 março, 2011 @ 10:55 pm 10:55 pm

    Glossário interessante! Bem ao seu estilo!
    Parabéns!
    Abraços

    Curtir

    • terça-feira, 22 março, 2011 @ 9:30 am 9:30 am

      Augusto,

      Grato meu caro. O que achou da definição de catamarã? Concorda, ou sem corda?
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  2. Ernesto permalink
    segunda-feira, 21 março, 2011 @ 11:41 pm 11:41 pm

    Achei que trimara era veleir com rodinhas!!!!!

    Curtir

  3. segunda-feira, 21 março, 2011 @ 11:42 pm 11:42 pm

    Eita glossario arretado!

    Curtir

    • terça-feira, 22 março, 2011 @ 9:38 am 9:38 am

      Antonio,

      Também achei porreta.
      Viu a cutucada que dei na turma de Natal (você inclusive) na resposta acima?
      Guarda as aceloras pras roscas que um dia eu chego.
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  4. Georgia permalink
    segunda-feira, 21 março, 2011 @ 11:49 pm 11:49 pm

    Adorei! Muito bom! kkkkk Vou divulgar !

    Curtir

    • terça-feira, 22 março, 2011 @ 9:40 am 9:40 am

      Georgia,

      Que bom que gostou. Me incentiva a escrever mais abobrinhas aqui.
      Muito grato pela divulgação. Apareça sempre, vira e mexe tem coisa nova.
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  5. ivanperdigao permalink
    terça-feira, 22 março, 2011 @ 12:21 pm 12:21 pm

    Sugestão para enriquecer (?) o Glossário:
    Comandante : um cara que se acha o máximo e sempre sabe em quem botar a culpa se algo der errado a bordo. Não confundir com cumandante que é o comandante bundão.

    Curtir

    • sexta-feira, 25 março, 2011 @ 12:17 pm 12:17 pm

      Ivan, o pitaqueiro

      Grato pela colaboração. Vou esperar outros pitacos pra incluir tudo junto.
      Gostei do cumandante, mas como este blog é de família e politicamente correto, não sei se devo inclui-lo.
      Estarei no Rio. Vamos ver o U2 no domingo, 9:30, no cinema novo da Lagoa?
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  6. helio permalink
    domingo, 3 abril, 2011 @ 5:59 am 5:59 am

    Com a devida permissão [ainda que sem ela], deixo uma remexida na proposta do Ivan, com pitada de Hommer Simpson: Comandante: aquele que tem toda a culpa e que pode, portanto, colocá-la em quem ele quiser.

    Curtir

    • quinta-feira, 25 agosto, 2011 @ 12:01 pm 12:01 pm

      Xará,

      Tá ficando bacana a definição de comandante. No MaraCatu eu sou o co-mandante (você deve saber: minha mulher manda e eu, que não sou bobo nem nada, faço que obedeço).
      Bons ventos sempre,

      Curtir

  7. joanhvalles permalink
    quinta-feira, 9 fevereiro, 2012 @ 3:56 pm 3:56 pm

    esto procurando velero para viajar de sudamerica a europa

    Curtir

  8. joanhvalles permalink
    quinta-feira, 9 fevereiro, 2012 @ 3:58 pm 3:58 pm

    esto procurando velero para viajar a europa, comparto gastos

    Curtir

  9. terça-feira, 14 fevereiro, 2012 @ 3:59 pm 3:59 pm

    Joanhvalles,

    Pode deixar, se eu souber de algum veleiro subindo para a Europa entro em contato (aqui e pelo seu e-mail).
    Grato pelo comentário e bons ventos sempre,

    Curtir

  10. João Paulo Benin permalink
    domingo, 3 agosto, 2014 @ 11:30 pm 11:30 pm

    O melhor de todos:

    Cruzeirar: consertar o barco em cenários paradisíacos.

    Curtir

    • terça-feira, 5 agosto, 2014 @ 2:53 pm 2:53 pm

      Obrigado João Paulo,

      Se souber de outra definição para algum termo náutico, compartilhe aqui neste espaço. Mas lembre-se: sempre com um quê de humor!

      Bons ventos sempre,

      Hélio

      Curtir

Em que você está pensando? Deixe seu pitaco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.036 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: